O Sequestro da Princesa Élfica – Sessão 02

Lynn, Jorah, Tianna, Aedan e Delorean

Olá! Neste sábado narrei a segunda e última sessão da aventura de Old Dragon que usei para apresentar o sistema ao meu grupo e ainda realizar o velho desejo de rolar histórias paralelas no meu Tormenta modificado. Aqui está o reporte. Leia o da primeira sessão clicando aqui.

A trama é sobre o rapto da princesa da cidade élfica de Alestil, na Floresta Sombria, no reino de Bielefeld. A mando do rei, quatro elfos e um humano se reuniram para salvá-la. São eles: o mago nobre Aedhan, elfo Mag7 (Diego); o exilado bêbado Delorian, elfo HdAGue6 (Megaron), a exilada guardiã Anelynn, LadRan5 (Elisa); o capelão Jorah de Khalmyr, Clr5 (Rafael) e a arqueira nobre Tianna (HdaGue5, PdM).

O reporte

Depois de enfrentar aranhas gigantes, nossos heróis saem da floresta e, em uma noite enluarada, chegam à reclusa aldeia de Stormere, na curva do Rio Água Verde. Bielefeld está em guerra, com o conquistador Darius Drakkan tomando metade do reino, mas a fome, peste e foras-da-lei parece não ter chegado por ali. Protegida pelo senhor de Skeward, o feudo onde está situada, a aldeia não sofreu tanto com o inverno. Mesmo assim, eles ficam receosos de entrar, caso os sequestradores tenham preparado uma emboscada.

Porém, uma carroça vem se aproximando, e Jorah a aborda. Seu ocupante, o mercador e estalajadeiro anão Harbek, diz que está voltando à aldeia e pouco sabe sobre os Zangões de Ferro. Porém, oferece cama e comida ao clérigo e aos elfos (ele os vê se banhando despudoradamente no rio, mesmo com a frieza). Na estalagem, Jorah se serve de caldo e cabra, enquanto o resto se arranja com queijo de cabra, pão e pêras passadas. Aedhan sai do local, e vai verificar o perímetro, invisível. Consultando o amuleto mágico entregue pelo tio, nota que os Zangões não estão ali, e sim mais ao sul. Na volta, vê que há homens de olho neles, e sugere que todos se recolham.

De guarda no meio da noite, Tianna ouve passos e acorda Aedhan. Lynn espreita a porta com eles, e Delorian fica deitado com a espada preparada. Arrogantes, os elfos deixam Jorah dormindo por precisar descansar mais. Subitamente homens irrompem pela porta e janela – Tianna atira em um, Aedhan prepara um relâmpago com sua varinha e Lynn amarra um lençol na cabeça de outro, que cai ao escorregar numa garrafa de vinho deixada por Delorean. O líder do bando acerta Aedhan com um golpe poderoso de maça, mas ele não perde a concentração [na hora, achei mais legal ele fazer uma JP para não perder a magia]. Então, fuzila o rufião com a magia, que ricocheteia no segundo homem e em Delorean. O guerreiro élfico talha o joelho do sujeito com a espada, deixando-o de joelhos, e Aedhan o mata com seus mísseis mágicos. Jorah, acordado, acerta o terceiro homem com seu mangual e Lynn o finaliza. A elfa não consegue desarmar o bandido que ameaça Tianna, mas não é preciso. Ele e o homem com o lençol, dominado por Delorean, percebem que a batalha está perdida e se rendem [teste de Moral!].

A trajetória dos heróis

Interrogados, os homens contam que usavam o tabardo de Sir Edmur Keartan mas são foras-da-lei com ordens para matá-los, e iam encontrar os Zangões da estalagem Refúgio do Corvo, longe dali, para receber o pagamento. Harbek traz o alcaide-xerife da aldeia, Derek Sorriso-Torto [o nome é por causa de uma cicatriz na boca], que pede a Jorah para julgar os bandidos. O clérigo lhes condena a servir Sir Horace Skeward por um ano, sem soldo. No dia seguinte, os heróis partem para o sul, se conhecendo melhor. Passam pelo castelo Herrinton, em ruínas graças aos orcs de Drakkan, mas não se envolvem na luta entre soldados do rei e outra tropa de orcs. No dia seguinte, passam por um campo de cadáveres de alguma batalha, e Jorah reza pelas almas dos mortos.

Dois dias depois, chegam à Refúgio do Corvo, uma estalagem fortificada com este nome por ter sido, há meio século, o “bunker” de Sir Randal Krane, o Cavaleiro do Corvo [avô de Orion Drake, cujo nome mudei para não confundir com Drakkan], em uma batalha. Os oficiais do portão – e o amuleto – lhes dizem que os Zangões estão ali. Aedhan usa invisibilidade em Lynn, que se esgueira até o salão. Lá avista, dentre dezenas de homens armados de vários senhores, os mercenários bem protegidos em uma mesa de canto: um guerreiro de montante com uma rameira no colo, um anão bárbaro, um halfling, um clérigo de Keen [deus da guerra], uma bela meio-elfa, um elfo de cabelos castanhos e uma nervosa elfa de cabelos dourados – a princesa.

Lá fora, o grupo vê refugiados chegando de um vilarejo destruídos por Lyon, o filho de Drakkan¹. Lynn chega e conta o que viu, e eles avistam o clérigo, o halfling e o anão saindo para urinar num canto do pátio. Eles enviam Lynn para sentar e observar no salão, e seguem os três. Jorah usa um silêncio e eles atacam de surpresa. Tianna acerta uma flecha na têmpora do clérigo [critico mortal!] e o mata; um relâmpago dá cabo do halfling fujão, e o anão troca golpes com Delorian e Jorah até que os Zangões chegam em peso, com doze soltados. Aedhan pede que entreguem a princesa, mas a própria toma a frente e choca a todos dizendo que fugiu de seu cativeiro paternal de vontade própria com o elfo Jamiel. Ela lhes dá seu amuleto como “recompensa” e se vai com os mercenários.

No salão cheio, três patifes agarram Lynn. Ela eviscera um com sua adaga, mas outro a nocauteia com um soco [mais um crítico!]. Acorda presa em uma cama, com os dois dizendo que a venderão para algum nobre. Um deles sobe na cama e lhe arranca as calças, mas não a toca – Delorean arromba a porta e mata um, enquanto Graveto, seu lobo, voa na garganta do outro. Surge então o dono da estalagem e se apresenta como Berric Aberkrund, filho bastardo do Cavaleiro do Corvo e oficial reformado. Ele se desculpa pelo transtorno, manda seus homens limparem a bagunça e oferece o jantar por conta da casa. Na mesa, eles conversam sobre o fracasso da missão, e Jorah nota que Lynn parece bastante com a princesa Tenasya. Neste momento, surge a meretriz que estava com o líder dos Zangões e, achando que está olhando para a princesa, a felicita por “ter sido salva”, já que Lance O Bastardo Cruel lhe contara que o bando ia vendê-la para o Lorde de Crevenard a sacrificar para algum deus maligno. Uma reviravolta! Eles decideam salvá-la desse destino cruel, e recrutam alguns homens para ajudar.

No caminho para o feudo Crevenard, um comerciante diz que foi assaltado pelos Zangões, e aponta a direção que eles foram. Jorah diz que só podem ter ido para o Templo Oculto, uma antiga ruína nas colinas pedregosas a sudeste. Uma vez lá, avistam as paredes e pilares antigos no topo da colina. Lynn mais uma vez espreita invisível, e avista a princesa amarrada em uma pedra circular com velas ao redor, o nobre em vestes rituais preparando um punhal, e os Zangões bebendo na crista da colina. Eles executam seu plano: quando o nobre começa o cântico para o demônio Lâmia, Aedhan invoca homens-lagartos para atacar os soldados e explode uma bola de fogo nos Zangões, matando a meio-elfa e o anão. Com o tempo chuvoso, Jorah começa a convocar relâmpagos, acertando Lance com o primeiro. Os henchmen se digladiam, Delorean choca espadas com o Bastardo Cruel, Tianna acerta uma flecha na nuca do nobre no momento em que ele ergue o punhal e Jamiel salta de sabre em riste e perfura o braço de Aedhan.

Pena que não deu pra ele fazer isto.

Quando Lynn desamarra a princesa e a leva para trás de uma coluna, o cadáver de Lorde Crevenard levanta e começa a se transformar! Crescem músculos e chifres, e suas pernas se tornam uma enorme cauda de serpente. Uma Lâmia semi-manifestada, com olhos fendados e espadas sibilantes nas mãos, emitindo gritos que eregelam os corações. Jamiel e todos os mercenários vivos fogem correndo, Lynn, Aedhan e Lance são paralisados, e este sofre o primeiro ataque furioso do monstro. Jorah cala o demônio com a magia silêncio, e envia um martelo espiritual para golpeá-lo, enquanto Tianna atira à vontade. Delorean vira um dos pilares e prende sua cauda; em seguida corre pelo pilar, agarra os cabelos da Lâmia e se balança, enfiando a espada nas suas costas. O monstro cai morto, e Aedhan diz que a possessão seria completa com o sangue da princesa. Felizes com a vitória, permitem que Lance vá embora atrás de Jamiel, o elfo traidor.

Interlúdio

De volta a Alestil, os heróis entregam a princesa ao seu pai no terraço do palácio de cristal. O Rei Sorion agradece e lhes dá armaduras e armas élficas de mitral de presente. Quando tudo parece terminado, uma elfa misteriosa grita o nome do Rei de outra varanda e o mata acertando uma flecha do juramento no seu pescoço! Eles tentam capturar a figura, mas ela desaparece². Danariel, tio de Aedhan, decide contar a Lynn que ela é irmã gêmea de Tenasya, e a elfa não aceita a revelação. Aedhan e Jorah pedem permissão para caçar a assassina, mas a princesa nega e se retira, dizendo que as coisas irão mudar na sua cidade. Todos ficam desconfiados, e decidem sair em caçada mesmo assim…

Comentários

Faz tempo que não terminava uma sessão de jogo com uma sensação tão boa ao invés de cansado e estressado. Todos adoraram o sistema, e o jogo foi excelente. Ele tem seus defeitos, claro, e nenhum sistema que eu adote deixa de sofrer várias alterações, mas ele veio para ficar. Fiquei surpreso com as ações legais dos jogadores em combate, mesmo sem um sistema de manobras. É inegável que eles se sentem muito mais livres para fluir a criatividade com as regras simples e desprendidas, e as discussões são quase nulas. Fora o mínimo tempo de preparação, algo que conta demais hoje em dia.

Como disse no outro reporte, usei alguns elementos da aventura O Resgate da Princesa Élfica, disponível para download no excelente blog Vila do RPG. O que é bom é pra se usar! Mas aconselho que sempre adaptem aventuras prontas aos moldes da sua campanha e ao roteiro que você acha mais coerente ao invés de tentar usar by-the-book. Muito mais divertido!

¹ Este evento faz parte de outra campanha no mesmo reino, e o Lyon em questão era um PJ. =)

² Esta elfa é uma PdM de uma campanha em Samburdia. Ela era prometida e negou o Rei, por isso ele a estuprou e baniu. Depois de andar alguns meses com os PJs, achou a flecha do juramento e os abandonou para se vingar. Os jogadores vibraram muito com o encontro!


6 Comentários on “O Sequestro da Princesa Élfica – Sessão 02”

  1. Talles disse:

    Muito legal a aventura. E essa princesa ai hein?! Tá me cheirando a regicida.
    Já estava na ansiedade jogar a tão esperada aventura que esse sr. que escreveu o post vem protelando a meses, agora então… :P

  2. Mermão, Lamias são fodas. XD

    Gostei do reporte. Do lado de cá, as aventuras sistêmicas só pioram. Hehehe.

  3. Thiago Prietto disse:

    Muito legal o reporte Dan!

    Em relação às regras, podia compartilhar as tuas house rules?

    O que funcionou e o que não funcionou pra vc no jogo?

    Que venham mais reportes iguais a este.

  4. Dan Ramos disse:

    @Talles – pois é né, ficou todo mundo com uma pulgona atrás da orelha! E deixe de reclamar, quando menos esperar a gente joga =P

    @Jagunço – é uma pena Mário. Por aqui a gente vai testar Dragon Age RPG, depois vai brincar com meus experimentos de fantasia de Storytelling, seguido do +2d6 do tio Nitro, talvez Mouse Guard e aí finalmente definirei os sistemas definitivos de fantasia que usarei. =P

    @Thiago – valeu! Eu não usei house rules nessa aventura, mas as principais impressões que tivemos foi relacionada a danos. Mudamos Convocar Relâmpagos (de 2d8+1d8/nvl a cada 2 rodadas, 3d8(+1/nvl) a cada rodada. Achamos Dardos Místicos e Relâmpagos apelonas, mas não mexemos. E eu estou achando o dano por rodada de alguns personagens muito baixo (embora não queira os danos absurdos da 3E).

    Sei que sou um dos idealizadores do sistema, mas até as coisas que eu criei fico mudando e revisando o tempo todo. =P

    Ah, e pode deixar que muitos reportes virão aqui no Birosca! =D

  5. molock disse:

    Mermão, Jogaço!! apesar de eu estar meio entorpecido por medicamentos no dia, foi show de bola =D

  6. […] você teve paciência de ler até aqui, espero que tenha gostado. Leia a segunda parte clicando aqui. -7.153892 -34.836465 Espalhe esse post!Gostar disso:GostoSeja o primeiro a gostar disso […]


Comente (se não tiver login do Wordpress, clique no ícone do Facebook ou Twitter) =D

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alteração )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alteração )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alteração )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alteração )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.