As 36 Situações Dramáticas – parte 02 de 03

Continuando com a tradução – que comecei em julho (parte 01) – da popular lista criada por Georges Polti para categorizar cada situação dramática que pode acontecer em uma narrativa, com comentários para inspirar narradores. Pensei em desistir porque me foi apresentada uma lista aplicada para RPG, que planejo traduzir aqui em breve, mas vou manter o compromisso e terminar esta tradução (uma das resoluções de ano novo foi tentar não deixar mais projetos inacabados). Devo terminar a lista ainda este mês, pra não dar outro hiato tão grande. Por fim, o disclaimer que passei no primeiro post: Polti usa adjetivos para citar as partes envolvidas, então considere que os PJs podem substituir qualquer uma das partes.

13. Inimizade Familiar: um Parente Malevolente e o Parente Odiado (ou que odeia o Malevolente) ou um segundo Parente Malevolente conspiram juntos. Esta situação tem alto potencial de tragédia grega ou história de máfia. Os PJs são contratados por alguém para matar outra pessoa, talvez até com algumas manipulações que os façam crer que estão caçando um vilão, mas no fim das contas podem perceber que estão servindo de ferramenta de conspiração entre irmãos mafiosos, um casal de magos que se detesta (afinal já estão há algumas centenas de anos casados, e nenhum casamento perfura tanto sem rusgas…), um guerreiro e seu mestre que trilhou o caminho da escuridão, ou alguma outra inimizade criativa. Eles próprios podem ser objetos dessa conspiração, ou se verem forçados a conspirar contra alguém com quem possuem laços – digamos, o tio do paladino do grupo usurpou o trono que ele descobriu ser dele, e agora está oprimindo uma região.
14. Rivalidade Familiar: um Objeto da Rivalidade escolhe um Parente Preferido ao invés de um Parente Rejeitado. Similar acima, mudando apenas as motivações: uma amante rejeitada, um irmão que não está na linha de sucessão, etc. Essa escolha pode ter sido uma roubada arranjada pelos próprios PJs, quando eles precisam favorecer (ou apoiar) politicamente algum NPC em detrimento de um parente que também almeja algo, ganhando um bom inimigo para o futuro.
15. Adultério Assassino: dois Adúlteros conspiram para matar um Cônjuge Traído. Trama super clássica, usada em uma porrada de filmes e histórias antigas, como a traição de Guinevere e Lancelot, ou Tristão e Isolda. Um PJ pode ser o cônjuge que será alvo da conspiração, um dos adúlteros que se vê em um dilema quando seu(sua) amante propõe a morte do traído, ou os personagens podem ser jogados no meio da trama, precisando proteger o traído (que é ente querido de algum deles ou não) ou contratados para matar o coitado – talvez manipulados, dependendo das inclinações dos personagens.
16. Loucura: um Insano enloquece e faz mal a uma Vítima. A trama do Batman The Dark Knight pode ser utilizada em diversos motes de histórias, mexendo aqui e ali. Pode ser um PJ que pirou e matou alguém sem querer, talvez enquanto dormia (Bang!), seja porque está mexendo com forças que está levando sua mente para o buraco, ou está sofrendo alguma transformação como licantropia. Ou os PJs podem precisar pegar um louco que está fazendo mal a alguém, como um psicopata ameaçando pessoas (ou uma só pessoa) ou um pirado criando caos. Pode ser um monstro (imagina o estrago de um dragão) que foi levado à loucura por causa de uma praga, ou até um louco que trancou um monte de gente inocente em um lugar (pode até ser um mago e uma torre, ou fantasmas e uma casa assombrada) para se divertir fazendo jogos sádicos (já ouviu falar dessa?), etc.
17. Imprudência Fatal: um Imprudente, por negligência ou ignorância, perde um Objeto Perdido ou faz mal a uma Vítima. Uma morte acidental, depois de uma discussão ou perseguição, que pode ser atribuída ao mero acaso ou alguém que não controla a própria força. Se esse assassino ocasional tentar esconder o corpo, temos aí uma investigação. Se não, os PJs podem tentar inocentar (ou ajudar na fuga) o imprudente. Este pode ser um dos PJs, que matou alguém sem se preocupar e provocou a ira de gente mais poderosa. Os PJs podem perder ou alguém lhes roubar um item mágico disputado na mão, ou um simples objeto que traga muitos problemas (um tesouro, uma carta diplomática, uma informação num pendrive…), ou precisam achar esse objeto perdido por algum NPC trapalhão!
18. Crimes Passionais Involuntários: um Revelador trai a confiança de um Amante ou de um Amado. Imagine que o conspirador da situação 15 dá com a língua nos dentes, seja por ter desistido ou falado alto em algum lugar onde “as paredes têm ouvidos”. Ou então o Amado descobre a traição (por esses mesmos meios) e decide revidar, contratando os PJs ou dando problemas aos PJs quando mata os dois traidores ou tenta matá-los e os personagens dos jogadores podem impedi-lo.
19. Assassinato Desconhecido: um Assassino mata uma Vítima Não Reconhecida. Mistério total: uma vítima aparece morta, mas por algum motivo ela é mais do que um indigente qualquer. Talvez seja um cadáver desconhecido em um corredor do palácio; talvez ele apareça enforcado no apartamento de um PJ; talvez ele apareça morto na cama de um PJ depois de uma bebedeira! Quem sabe não é um príncipe vestido com roupas de mendigo para o crime passar despercebido? E se o interessante for algo que deveria (ou não deveria) estar com ele? Jogue a bosta no ventilador e ouça atentamente os palpites dos PJs para dar a próxima reviravolta!
20. Auto-Sacrifício por um Ideal: um Herói sacrifica uma Pessoa ou Coisa por um Ideal, mas o crédito é tomado por um Credor. Algum malandro está levando os louros pelo sacrifício de um verdadeiro herói! Políticos e corporativos são mestres em levar a melhor em qualquer situação. Talvez a honra do herói esteja sendo manchada porque algum espertalhão poderoso associou o sujeito a ele, ou os PJs precisem assumir a culpa de um criminoso para não manchar sua honra, já que ele é um herói e o povo precisa dele – como em um certo filme. Talvez esse herói precise sacrificar poucos em benefício de muitos (como matar a tripulação da nave para impedir uma bomba/asteróide/vilão de chacinar o planeta/reino), e os PJs estariam na posição do Herói ou dos sacrificados.
21. Auto-Sacrifício pelos Seus: um Herói sacrifica uma Pessoa ou Coisa por um Parente, mas o crédito é tomado por um Credor. Mesma coisa da situação acima, mas dessa vez o motivo do sacrifício é um ente querido. Os PJs são o herói ou o parente – ou o credor, e precisam convencer as pessoas de que não foram os responsáveis pelo sacrifício. Ou não!
22. Sacrifício Passional: um Amante sacrifica uma Pessoa ou Coisa por um Objeto de sua Paixão, que é perdido para sempre. Novamente, os PJs podem tomar qualquer parte da situação. No caso de serem o “sacrificado”, podemos contar que alguém quer “sacrificá-los”, e eles precisam impedir ou aceitar – nesse último caso, o jogo acaba para o(s) personagem(s) que aceitar(em). Alto potencial de drama divertido aqui, muito embora venha junto de perdas irremediáveis – como um personagem que sabe que vai morrer mas vai lutar com o terrível monstro mesmo assim, ou alguém que precisa atirar o anel da perdição em um vulcão.
23. Necessidade de Sacrificar Entes Queridos: um Herói faz mal a uma Vítima Querida por causa de uma Necessidade de seu Sacrifício. Essa situação é uma das minhas prediletas. Um ente querido de um PJ é possuído, transformado substituído por um monstro (fantasma, demônio, vampiro, lobisomem, doppleganger), e um dilema terrível é lançado. O próprio PJ pode cair nessa terrível condição. Talvez esses entes queridos estejam dos lados opostos de uma guerra ou facção. Talvez haja uma chantagem por parte de um vilão, onde os PJs precisam decidir entre seus entes queridos ou inocentes prestes a morrer. Muitos dilemas divertidos!
24. Rivalidade de Superior vs. Inferior: um Rival Superior supera um Rival Inferior e ganha um Objeto de Rivalidade. Os PJs podem ser um dos rivais ou caírem na situação de gaiatos (talvez um dos rivais tem uma ligação com eles, ou a disputa está trazendo problemas). Um inimigo dos PJs pode ter tido seus planos frustrados, ou os PJs queiram realizar uma vingança ao ser superados por esse inimigo – nada deixa jogadores mais irritados do que a derrota, então recomendo que o narrador tenha o cuidado de deixar implícito (ou claro) que eles poderão revidar.
Anúncios

2 comentários em “As 36 Situações Dramáticas – parte 02 de 03

  1. Do baralho Dan! Aplicá-lo-ei em minhas mesas.

    Só isso aqui já é tipo um mapeamento, em que eu posso passar o olho e procurar onde meus PJs se encaixam e criar um draminha ehehe

    (errinho corrigido)

    Curtir

Dê um pitaco, não custa nada

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s