O Mistério de Flement

Pois é, passei a semana fora, mas os últimos dias foram bem corridos!
Aí eu vou mestrar uma nova aventura de Old Dragon, que faz parte das histórias paralelas do meu cenário de campanha (a primeira foi O Sequestro da Princesa Élfica, que reportei também aqui). Dessa vez o jogo será online, em vista da dificuldade de marcar presencialmente com meu grupo regular – se der certo, devo mestrar mais mesas assim e abrir vagas para broders internéticos. O primeiro jogo vai ser hoje, e se dará no Roll20 (ou em um hangout, se der certo, ou com o Skype), uma plataforma gratuita e bem bacana de jogar RPG de mesa online. Ela deve durar duas ou três sessões, ou mais.  Nunca mestrei online, então não consigo estimar muito bem.
Em O Mistério de Flement (nome fraquinho, mas qualquer outro traria spoilers), quatro aventureiros de certo renome (8º nível) investigarão o que aconteceu com Flement, um porto fortificado entre o rico e poderoso reino de Deheon e o reino de cavaleiros Bielefeld, combalido por uma guerra em andamento (mas ninguém em Deheon sabe disso ainda; os eventos dessa guerra fazem parte da campanha completa que postei aqui; na verdade, essa trama está gerando muitos spin-offs :D). 

Há semanas os barões do sul de Deheon não têm notícias de seus contatos que moram ou passam por Flement, e os mercadores que foram naquela direção nas últimas semanas simplesmente não retornaram. Como nem sequer os impostos têm vindo daquela região, os senhores reuniram a gorda quantia de 5 dragões de ouro (no meu cenário, a moeda principal geralmente é a prata) e resolveram contratar o pequeno mas importante bando de mercenários conhecido como Bravos Companheiros (os PJs; nome devidamente roubado de Game of Thrones) para descobrir o que está acontecendo na cidade, e se possível (por um bônus de 5 dragões de ouro) resolver o problema.
Os quatro personagens principais são:

Lexa Hawke (humana, homem de armas [guerreira] 8º, caótica, personagem de Allana Dilene): nobre allaniana cujo pai caiu em uma conspiração e perdeu o nome, as terras e a vida. Lexa fugiu e passou a viver da espada, criando uma companhia de mercenários. Oriunda de um reino famoso por bravos heróis e filha de pais ainda mais dignos em batalha, Lexa guarda com carinho o sinete e a tabarda do falcão para um dia utilizar de novo, de preferência sobre os corpos daqueles que traíram o nome Hawke. Lexa luta com uma espada bastarda que chama de Stormbringer (que pode soltar raios ou estourar loucamente) e um escudo.

Galford Landrunner II (humano, mago [cavaleiro arcano] 8º, ordeiro, personagem de Rafael Ramos): nobre therendoriano (um reino a oeste de Deheon) que se formou na Magna Academia Arcana de Deheon e está em viagem por conta de uma tradição do seu reino – despachar jovens nobres para conhecer o mundo e ganhar sabedoria. Ao se sagrar Cavaleiro Arcano, juntou-se aos Bravos Companheiros com uma missão secreta que certamente irá dissolver a companhia quando for cumprida. Possui uma espada de gelo, por onde canaliza seus feitiços.

Earond “Gray” Palandeer (elfo, ladrão [ranger] 8º, caótico, personagem de Talles Lemos): parte de um povo exilado, cresceu em uma pequena floresta na costa de Deheon. Uma vila humana crescia rapidamente na orla da floresta, e seus machados começaram a se aproximar da aldeia élfica. Para evitar derramamento de sangue, o ancião prometeu sua filha (a amada de Earond) em casamento ao filho do Lorde daquelas terras, em troca do fim da exploração. O elfo deixou aquele lugar revoltado, para conseguir outro lar para seu povo e tomar sua amada de volta. Gosta de arremessar adagas e lutar com duas espadas curtas (uma delas conjura uma sombra, que pode lutar por ele ou contra ele).

Edric “Arlequim” (humano, homem de armas [arqueiro] 8º, neutro, personagem de Nino Simas): há vinte anos atrás, Ed desertou de um destacamento de arqueiros de Bielefeld, depois de uma batalha perdida. Se juntou a bandoleiros em Deheon e depois de todo esse tempo sobrevivendo, viu seus comparsas caçados e mortos pelos Bravos Companheiros. Pediu clemência em troca de um ano de servidão sem pagamento, e Elexa teve piedade. O tempo de servidão está acabando, e por enquanto a lealdade de Ed permanece neutra. Possui um chapéu com uma pena da sorte, que o ajuda em tarefas ou situações difíceis (3/dia, permite que ele role um teste duas vezes e fique com o melhor resultado).

Além destes personagens, temos quatro guerreiros seguidores da companhia (que eu determinei a partir do valor de Carisma dos PJs) e o lobo de Earond. Eles irão começar o jogo em uma estalagem sinistra chamada O Gigante Adormecido (quem joga Skyrim reconhecerá), perto da cidade. O que terá acontecido a Flement, o Porto de Ferro? Eu, obviamente relatarei aqui no Birosca, e disponibilizarei a aventura por aqui, já que é criação minha (com alguns pitacos do pessoal da Lista de Discussão do Old Dragon, sempre prestativo).
Anúncios

4 comentários em “O Mistério de Flement

Dê um pitaco, não custa nada

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s