Contos do God-Machine (autor convidado)

Há quanto tempo, pessoal. Estou passando por uma fase conturbada e fiquei duas semanas sem postar aqui, mas ontem apareceu uma oportunidade de trazer um excelente material traduzido pelo Eduardo Soares, da lista de discussão da Redbox.

Ele planeja traduzir os contos do suplemento gratuito do World of Darkness, que é a parte de atualização de regras contida no cenário God-Machine. Esta ambientação é uma expansão do conto A voz de um anjo, do livro básico do Mundo das Trevas.

A ideia é que o mundo seria parte de uma grande máquina que muitos tentam usá-las para seus próprios fins. Temos espíritos e anjos cibernéticos bizarros, horrores antigos e no meio disso meras pessoas comuns que abrem os olhos para a bagunça inteira.

Você pode ler mais sobre o cenário e baixar gratuitamente a atualização de regras através deste meu post na fanpage.

Então aí vai a história, curtinha e bem legal. :)

Nós saímos para passear na neve. Juntos. A mudança no cenário caiu como uma luva – a briga ‘meio-que-começada’, esquecida, aliviada pelo mundo exterior e a fria noite de novembro. Foi então que o encontramos. Estava deitado, torcido e quebrado, sob uma árvore no fim da estrada. Alguma coisa deve tê-lo atacado. Fiz uma careta, engoli em seco, e disse que iria buscar uma pá. Colocaria fim ao seu sofrimento.
Ela ficou com ele, ajoelhada na neve. Eu olhei para trás conforme comecei a subir a colina, e ela estava se aproximando para toca-lo. Quando eu retornei, ele estava lambendo sua mão com uma língua longa, piscando lentamente. Parecia que ele sobreviveria, afinal.
Ela sorriu pra mim, aliviada e feliz. Amanhã, ela voltará ao trabalho no hospital. Essa noite, ela não precisará assistir nada morrer.
Ele voltou conosco. Uma caixa de cartolina embaixo da mesa da cozinha, revestida com um velho cobertor. Algum lugar onde possa se curar, e então seguir seu caminho.
ELE NUNCA PARTIU.
Ȫ   Ȫ   Ȫ
Ela o chamava de seu Pequeno Anjo. Amava-o. Ele comia mais do que nós e sua cama, nunca usada, ficava próxima ao fogão. Dia após dia eu voltava depois de uma longa jornada para encontrá-lo do meu lado da cama, piscando para mim com seus malditos olhos cinza.
Depois da primeira vez em que resolvi reclamar sobre isso, nós brigamos. Após isso, sempre que ele estava lá, eu dormia no sofá. Eu acho que entendo – Ela precisava de algo para lhe fazer companhia, quando eu estava fora. Por que ela não deveria ter um bicho de estimação?
ENTÃO ELA FICOU DOENTE.
Eu pedi alguns favores na agência, troquei alguns dias para poder ficar em casa no Dia dos Namorados. Cheguei em casa depois de escurecer, flores atrás das costas, esperando surpreende-la. Ela estava deitada inconsciente no sofá, seu Pequeno Anjo lambendo-lhe as pontas dos dedos.
Na Sala de Emergência, recebo notícias, assim que conseguem fazê-la se recuperar. É tratável, eles dizem. Eles não precisavam acrescentar o “mas bem caro”.
Eu não posso perdê-la, não a minha Becky. Trabalhei todos os turnos que me ofereceram, por todo o país de novo e de novo, desesperado tentando acompanhar as contas. Eu coloquei na cabeça que se eu conseguisse dirigir rápido o suficiente, correndo pela noite, então eu conseguiria alcançá-la. Salvá-la. Traze-la de volta comigo.
Ȫ   Ȫ   Ȫ
Não é o suficiente. Eu posso dizer, assim que retorno, exausto de mais uma longa jornada, que ela piorou. As janelas estão todas fechadas, e interior da casa parece uma sauna durante o calor do verão. Ela diz que está com frio mesmo assim, e eu posso ver em seus olhos. Ela sabe que não tem muito tempo.
Eu fico com ela, abraçando-a, ignorando todas as ligações da agência. Deixe que eles me demitam.
Eu a abraço enquanto ela me deixa. A ambulância chega tarde demais.
Ȫ   Ȫ   Ȫ
Eu ouço suas condolências, preencho seus formulários, e vagarosamente volto para a escuridão da casa vazia. Eu sento, chorando, no canto da cama. Ainda posso sentir o cheiro dela ali.
A PORTA SE ABRE. O ANJO ENTRA. ELE ARREGANHA SUAS PRESAS FINAS COMO AGULHAS, E EU VEJO COMO ELE REALMENTE É PELA PRIMEIRA VEZ.

Anúncios

8 comentários em “Contos do God-Machine (autor convidado)

  1. Esse conceito do God-Machine lembra o dos Phyrexianos de Magic: The Gathering.

    Eu curto demais esses antagonistas. Como vencer quem não tem nada a perder e que você sequer é capaz de compreender?

    Curtir

  2. Cara to eufórico aki com essa tradução mano , de longe A voz de um anjo é o conto mais maneiro do NWoD , por favor traduza todos os contos , eu tenho fome de conhecer tudo sobre esse livro , mas não manjo o suficiente de inglês .

    Curtir

  3. POR FAVOR !!! tente passar o máximo possível de informações sobre esse cenário , ele me lembra muito os mitos do H.p. Lovecraft.

    Curtir

  4. O clima do cenário me dá uma sensação de estar lendo Lovecraft pela primeira vez… O OWoD tinha um quê de fim de mundo, batalhas na sombra, algo quase (anti)heróico, mas esse Novo Mundo das Trevas tá fenomenal!

    Dos Dramas pessoais de Changeling ao (foderasticamente incrível) Terror/Horror Lovecraftiano de Hunter: The Vigil, cada cenário tá muito mais dark, muito mais aterrador, enquanto afirma a sua ínfima e inútil existência diante de coisas, seres, criaturas e eventos muito maiores do que você pode imaginar. São coisas incompreensíveis diante das quais você não pode fazer quase nada.

    Curtir

Dê um pitaco, não custa nada

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s