A misteriosa rádio UVB-76

Salve! Trago aqui pra vocês uma postagem diferente, sobre um local real que inspira várias histórias de horror, investigação paranormal, conspiração e muito mais. A misteriosa UVB-76 é uma estação russa de rádio de ondas curtas, conhecida entre os especialistas e ouvintes como The Buzzer, porque possui um pequeno e monótono sinal que se repete 24h por dia.

Ninguém sabe sua natureza ou as razões e propósito da estação, assunto de muitas especulações por parte das milhares de pessoas que estudam e catalogam suas transmissões (incluindo grupos especializados). Desde quando começou a ser observada em 1982, sabe-se que a estação transmite um som vibrante curto e repetitivo, substituído por um tom contíguo a cada hora (lembra um chiado acompanhado de um rápido som de navio).

Por vezes a monotonia é quebrada por uma voz masculina recitando breves sequências de números e palavras, ou nomes russos, indicando códigos, jamais decifrados. As diferenças mais notáveis ocorreram ao longo de 2010: começou quando o zumbido cessou por um dia. Em seguida algumas perturbações (como breves fragmentos lembrando código morse), paradas e recomeços.

Em uma manhã houve silêncio e ruídos estranhos e espantosos, porque o som parecia vir de uma sala. Aquilo fez os ouvintes notarem que a campainha não era um som automático transmitido, mas um dispositivo que gerava o ruído “ao vivo” em uma sala de transmissão – e nesse dia parecia haver alguém naquela sala.

No mês seguinte a transmissão frequentemente passava trechos gravados de O Lago dos Cisnes, de Tchaikovsky. Em uma noite, algo dramático: uma voz masculina citou nomes, números e mensagens enigmáticas em russo, que ninguém conseguiu decifrar. Muitos vasculharam a Rússia em busca do local de onde se origina o sinal. Após algum tempo de pesquisa, alguns grupos descobriram que o sinal emanava de uma gorodok voyenni (pequena cidade militar) perto de um vilarejo. Dizem que há 30 anos os soviéticos construíram uma estação de rádio de ondas curtas perto de Povarovo, a 40 minutos de Moscou.

Na época, Leonid Brezhnev estava vivo, o Kremlin presidia um império intercontinental e as tropas soviéticas estavam lutando contra o mujahideen. Após o colapso da URSS em 1991, foi revelado que Povarovo era controlada pelos militares e tudo que acontecia lá era top-secret (o que pode explicar porque até hoje o governo se nega a reconhecer a existência da rádio e afirma que não tem nada a ver com ela).

Logo após os acontecimentos de 2010, os ouvintes acreditaram que a posição da estação parecia ter se movido no dial. Alguns grupos traçaram a localização aproximada para perto da cidade de Pskov, perto da fronteira da Rússia com a Estônia, mas ninguém foi capaz de triangular exatamente a origem da transmissão. As teorias relacionaram a mudança a uma reorganização militar em setembro daquele ano, quando os distritos militares de Moscou e Leningrado foram fundidos para formar um novo centro de comando em São Petersburgo. Isso explicaria porque a rádio também mudou seu sinal para centenas de quilômetros a noroeste.

Hoje, a pequena cidade militar de Povarovo está praticamente abandonada. Nas redondezas jazem residenciais comunistas cinzentos, obras recentes e plantações, além de casas lacradas e paredes com sinais militares, mas sem guardas ou cercas eletrificadas e portas destrancadas.

A única atividade se dá perto dos blocos habitacionais com as esposas, filhos e netos de veteranos soviéticos (vivos e mortos). Segundo eles, ninguém nunca vai além da cerca de ferro a cerca de cem metros dos prédios, onde fica a antiga torre de rádio. Além dela, uma estrada passa por edifícios vazios e uma floresta de pinheiro, chegando à sinistra área da rádio abandonada em uma grande estrutura de antenas (que pode ser vista nesta foto de satélite). Uma cerca de arame rodeia a grande torre enferrujada, cercada de galpões e construções abandonadas. Cilindros metálicos saindo do chão sugerem dutos de ventilação de uma instalação subterrânea, e uma pequena construção rosa contém um buraco escuro e úmido (com cerca de 10m de profundidade) onde já esteve uma escada. Outra casa tem uma antena, uma porta bloqueada e um cão guardando o lugar (quem alimenta o animal?).

Dois grupos de exploradores urbanos pesquisadores da UVB-76 viajaram para a remota cidade russa para tentar visitar o bunker militar subterrâneo de onde se originava o sinal. Uma vez lá, um morador lhes contou um fato interessante: em 2010 (mesmo ano onde houveram as perturbações) houve uma tempestade com um denso nevoeiro, que fez o posto militar ser evacuado em 90 minutos. Eles foram até a base, um lugar escuro, silencioso e solitário, um labirinto com muitos corredores e quartos. Lá encontraram equipamentos espalhados e água gelada preenchendo o bunker nas partes mais profundas, e um log de mensagens da rádio, confirmando a existência física da rádio. Tudo muito sinistro.

Parte do mistério sobre a estação é que ela ainda existe. Nenhuma das grandes mudanças que marcaram a Rússia, da Guerra Fria à segunda guerra da Chechênia abalaram a constante da UVB-76, segundo os entusiastas que documentam os sinais transmitidos. A maioria dos observadores acredita que ela é um exemplo de estação de números, usada para comunicar mensagens criptografadas para espiões ou outros agentes, cujos números podem ser decodificados com uma chave de posse do ouvinte pretendido.

Elas existem desde a Segunda Guerra, como documentado pelo Projeto Conet, uma compilação de gravações. Existem algumas russas, norte-coreanas, norte-americanas, cubanas e britânicas (incluindo a famosa Lincolnshire Hunter, que dizem ser do MI6). A estrutura de transmissão peculiar da UVB-76 levou alguns pesquisadores a sugerir que ela não é apenas uma estação de números, mas algo mais – daí a teoria das ordens para unidades militares e espiões no estrangeiro.

Conforme o tempo passa, as perguntas se acumulam. As mensagens cifradas são arcaicas e caras (transmissão por satélite militar seria mais barata e fácil), o que sugere um propósito ainda mais sinistro.

Um prato cheio de mistérios, não? Podemos imaginar em um sem-número de histórias de RPG com rádios de ondas curtas estranhas como esta.

Elas não precisam se passar na Rússia – você pode muito bem criar uma rádio estranha em um lugar remoto do país onde se passa sua crônica ou campanha, caso não queira deixá-la tão “global”. Ou pode deixar na Rússia mesmo, já que tudo pelos lados de lá da Europa tem cara de estranho (vide O Albergue).

Mas o básico é: uma estação de rádio esquisita, criada pelos militares (os de qualquer país são cheios de segredos e coisas confidenciais) para enviar mensagens extremamente secretas, escondida em um lugar remoto e imersa até o pescoço em mistério. Agora imagine que essa rádio está abandonada, mas continua enviando seus bipes e fragmentos de mensagens em ondas curtas.

Os aficcionados pelos mistérios das transmissões levantaram várias hipóteses sobre o papel da estação na vasta rede militar de comunicações da rússia, e a maioria nos serve bem. Tanto a de que ela é um sinal secreto para espiões quanto um epicentro para uma “máquina do Juízo Final” (na URSS, programada para lançar mísseis nucleares para os EUA no caso do Kremlin ser arrasado por um ataque furtivo, decretando o fim do mundo) servem para histórias de espionagem, aventuras pulp e histórias de super-heróis (a primeira mais no estilo Agents of SHIELD, a segunda para as mais tradicionais).

Mas a mais legal é a de que seria uma rádio “fantasma”, uma transmissão de outro mundo. Num dos raríssimos momentos em que ela ficou fora do ar, um homem transmitiu coordenadas em russo, que levavam à estação abandonada. Fantasmas estariam mandando mensagens, presos em um loop infinito. Pessoas normais estariam presas no Éter (ou Umbra), se comunicando com o plano primário para pedir ajuda.

Uma entidade (ou monstros) mandariam mensagens para atrair pessoas e abatê-las. Um culto a um deus antigo (dos Mythos ou não) estaria preparando um grande ritual e usando a rádio para enviar ondas curtas de comunicação secretamente. Todas rendem bons ganchos de histórias de horror, survival ou ação.

No fim das contas, a rádio ainda está no ar, enchendo a ionosfera com seu mistério permanente e transmitindo para o mundo seus segredos ocultos e inacessíveis, em chiados e vozes distorcidas. E assim, nos dando ótimas ideias de histórias!

Para ler mais sobre a rádio (e ouvi-la em tempo real), vá para a fonte desse post (o Mundo Gump).

Anúncios

4 comentários em “A misteriosa rádio UVB-76

  1. Dan… Esse foi com certeza um dos seus melhores posts! Conseguiu me prender à leitura da primeira à última linha, e ainda sugeriu ótimas ideias pra histórias misteriosas e cheias de suspense. Parabéns!

    Curtir

Dê um pitaco, não custa nada

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s