Coraline e o livro secreto

coralineEsses dias tive a oportunidade de ler Coraline, de Neil Gaiman (emprestado pela cunhada Bia). Eu só tinha visto o filme, e gostado demais dele. Mas não sabia que o livro poderia ser tão mais bacana.

Como você provavelmente já sabe, Coraline é um passeio pela literatura infantil do grande Gaiman (se nunca leu um livro dele, corra logo). Na verdade, é uma história de “horror infantil”, que eu só vou deixar minha Helena ler quando estiver maiorzinha.

O escritor quis mexer com as historinhas tradicionais, e assim nasceu este maravilhoso livro, que você devora rapidamente do começo ao fim com uns bons calafrios.

Coraline é uma menina esperta que acaba de se mudar com os pais para um apartamento em um prédio antigo. Seus vizinhos são velhinhos meio malucos (um sujeito que acredita ter uma banda marcial de ratinhos, que de fatos são mais espertos que parecem, e duas ex-atrizes recordando suas glórias do passado, lendo folhas de chá e cuidando de seu cachorrinho) que nunca acertam seu nome mas a acham uma criança extraordinária.

Seus pais são muito ocupados, e ela acaba matando o tédio enorme de fim de férias explorando a região e o interior da casa. Assim, encontra uma porta que a leva até um outro mundo, onde tudo aparenta ser mais interessante seus “outros pais” (com botões pretos no lugar dos olhos) querem amá-la para sempre. Mas ela logo descobre que vai enfrentar muitos apuros para escapar daquela armadilha.

Ao aproximar-se da coisa na parede, percebeu que se tratava de alguma espécie de casulo, como uma bolsa de ovos de aranha. Contraía-se ao contato com a luz. Dentro do casulo, havia algo que se parecia com uma pessoa, porém uma pessoa com duas cabeças, com o dobro de braços e pernas que deveria ter.

A criatura no receptáculo parecia horrivelmente disforme e inacabada, como se duas pessoas de plasticina tivessem sido aquecidas e enroladas juntas, amassadas e espremidas em uma coisa.

Apavorante, né?

A narrativa direta porém rica de Gaiman faz você rir com a parte mais infantil, como algumas atitudes de Coraline, mas te deixa bastante apreensivo em momentos de tensão e suspense, especialmente quando ela está passando por lugares escuros e tenebrosos, quando há alguma coisa atrás dela ou ali no canto escuro da parede.

É quase como voltar a ser criança e assistir Os Goonies de novo. Uma garota inocente (e alguns companheiros inusitados e igualmente ingênuos) lidando com todo este mundo sutil e horrendo, coisas antigas que não pode vencer ou sequer compreender, para voltar o que é mais importante para ela.

Aquele nosso instinto aventureiro de quando éramos moleques, que nos fazia fantasiar sobre a casa abandonada no fim da rua, ou o fundo daquele matagal. Quem já jogou Little Fears ou Innocents deve encontrar nesta história uma ótima referência.

Com a escolha de palavras certas e seu estilo único de contar histórias, apoiado pela arte sensacional de nanquim de Dave McKean, Gaiman fez de Coraline (um livro que fez para suas filhas, e como tudo que faz, demorou a ponto de ter começado para a mais velha e terminado para a mais nova) uma leitura rápida e envolvente, de uma história envolvendo crianças, para dar medo e fascinação a adultos.

Engraçado que como eu assisti o filme antes e elevei meu conceito com o livro, acabei gostando dos dois. O enredo foi um tanto alterado e abrandado no cinema, incluindo a organicidade e origem da “outra mãe”, a inclusão de um “personagem-guia” humano ao invés de apenas o gato, entre outras coisas que se eu falasse aqui seria spoiler. E a Coraline do filme é bem chatinha, hehe.

Então, ache o livro (é baratinho) e leia rápido, se não o fez ainda. Não vai se arrepender.

7 comentários em “Coraline e o livro secreto

  1. Já até pensei em batizar uma filha minha de Coraline pela bravura e esperteza dela. No começo fiquei com medo que não fosse gostar, mas Gaiman, como sempre não decepcionou.

    Curtir

  2. Olha… até hoje não li nada dele que não achasse foda. Deuses Americanos, Coisas Frágeis e Stardust são ótimos. Estou aqui com Filhos de Anansi, que minha esposa adora, Coisas Frágeis 2 que ela também curtiu muito e O Oceano no Fim do Caminho, que vários amigos disseram ser o melhor livro dele. É outro nível de literatura :D

    Curtir

Dê um pitaco, não custa nada

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s