Guardiões da Galáxia

Já faz mais de uma semana que Starlord e sua turma de desajustados levaram todo mundo à loucura. Foi uma semana bem corrida pra mim, mas é quase uma obrigação falar sobre este filme.

A trama: Peter Quill (Chris Pratt), saqueador espacial, rouba uma estranha orbe em um planeta esquecido e acaba descobrindo que todo mundo a quer, incluindo o terrível vilão Ronan O Acusador (Lee Pace). Após um monte de eventos malucos, forma-se um grupo disfuncional de foras-da-lei para agir como heróis e salvar o universo desse terrorista superpoderoso.

É um verdadeiro feito da Marvel Studios pegar um grupo de heróis pouco conhecido da famigerada parte cósmica de seu universo e transformar num filme sensacional. Eu mesmo nem os conhecia, e quando começaram as notícias torci o nariz e nem dei bola.

Porém, à medida que foram saindo os trailers e o hype foi crescendo, a fórmula do filme parecia muito boa para ser ignorada: uma trilha de ótimos hits clássicos embalando um space opera que parecia bacana. Assim, foi crescendo minha empolgação até que, inevitavelmente lendo as primeiras resenhas, pirei até conseguir assistir.

E, como diria meu amigo Daslei, todo o hype foi aplacado. Que filme SENSACIONAL! Ficou pau a pau com Vingadores (se não melhor, ainda não decidi) pra mim. O maluco do James Gunn (Madrugada dos Mortos) entregou o filme mais divertido do ano (até aqui).

Todos os personagens possuem relevância na história e são o centro do filme. Pratt com seu carisma jovial, fanfarrão e cafajeste (quase um Indiana Jones). Zoe Saldana com sua Gamora séria dando o contraste. Dave Bautista fazendo bem o grandalhão Drax. Bradley Cooper e Vin Diesel conquistando corações com o guaxinim escroto Rocky Racoon e seu bondoso “pet” criatura-planta Groot (e suas mil entonações de “I am Groot”). Lee Pace, o Thranduil, arrasando de Ronan. Josh Brolin trazendo Thanos à vida com pompa. Michael Rooker, o Merle, com seu Yondu canalha. Dijimon Honsou de chefão da guarda sério com seu Korath.

Não é um filme de super-heróis (apesar de alguns ter poderes aqui), e sim uma aventura espacial old school que resgata o cinema malemolente de heróis de ação das antigas. Despretensioso, nos faz voltar à infância e não se leva a sério. Você ri o tempo todo, com piadas muito bem colocadas.

É cinema de referências, com menções a coisas como footloose e Kevin Bacon e que remete a filmes como O Último Guerreiro das Estrelas, Mercenários da Galáxia, Star Wars, Firefly e O Quinto Elemento. Você reconhece muitos dos melhores elementos do gênero: a poderosa relíquia, heróis relutantes, bandidos disputando o item, fuga da prisão, antagonista mudando de lado, batalhas espaciais fantásticas, etc. Tudo muito bem feito!

Muito bom, aliás, que o entretenimento sem frescura oitentista/setentista esteja voltando com toda. A incrível trilha sonora ajuda muito nesse saudosismo, perfeitamente integrada com o filme, carregada na fita K7 de Starlord (Awesome Mix Vol. 1) e bem encaixada em cada cena. Impossível não vibrar com Cherry Bomb tocando na clássica cena dos heróis se arrumando para a batalha, com todos os closes típicos nos equipamentos e a caminhada em direção à tela (com Rocky coçando o saco e Gamora bocejando).

E um adendo aos RPGistas: Guardiões traz muitas dicas valiosas para mestres e jogadores. Tanto de junção e dinâmicas de grupos (“Ok, aqui estamos, um bando de idiotas de pé formando uma rodinha!” :D) e bom uso de ferramentas de trama. Vou escrever um post só com isso ainda essa semana, pegando carona em muita coisa que já escrevi aqui (mas você provavelmente não leu).

Enfim, nem precisa dizer como eu virei fã do filme (e agora tô atrás do quadrinho) e quero mais urgentemente. Impossível não sair do cinema soltando as frases de efeito e pondo o Awesome Mix na sua playlist!

PS.: pra quem não sabe, a cocota que Starlord estava pegando no início do filme é uma personagem Marvel. Bereet é uma kryloriana das histórias do Hulk.

4 comentários em “Guardiões da Galáxia

  1. Também adorei o filme. Uma space opera como poucas. E acho que o legal de trabalhar com um grupo desconhecido é ter liberdade. E James Gunn aproveitou muito bem essa oportunidade.

    Pelo que li (uma única edição) acho que as personalidades dos personagens no filme são até melhores. Funciona melhor como grupo do que nos quadrinhos, mas posso tá falando besteira.

    Enfim, esse filme tem lugar certo na coleção.

    Curtir

  2. Vi ontem e achei sensacional!
    Aventura, Piadas e cenas engraçadas do inicio ao fim.
    Sem falar dos easter eggs e de vários elementos do universo marvel muito bem inseridos. Eu nunca pensei que veria um celestial no cinema e acabei vendo 2! um MORTO e outro destruindo um planeta! A tropa Nova, com seus uniformes iconicos, o star lord e seu walkman nostalgico. Por falar nisso, o clima anos 80 do filme teve um grande fator nostalgico em mim tmb, pois parecia que eu estava vendo filmes da minha infancia, com efeitos especiais de hj em dia! A trama foi legal, thanos fodastico como sempre, e os personagens principais tmb! Achei que o Drax ficou meio fraco, esperava algo mais do que um brigão sem camisa, mas a personalidade dele ficou massa!

    Acredito cada vez mais que posso vir a assistir filmes com um galactus descente, um nova, quasar ou surfista prateado realmente cosmicos e estou louco para ver skrulls e adam warlock, a morte e mefisto!!!!

    Curtir

Dê um pitaco, não custa nada

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s