Campanha Aegis – Capítulo 04

Continua o reporte da minha campanha principal de fantasiareboot de um antigo jogo querido de AD&D. Jogamos na minha Thedas (Dragon Age), no meu Fantasytelling.

Jogamos nas Fronteiras Livres (Free Marches), uma área de pequenos domínios, cidades-estado e vales. A área é pouco detalhada, logo me inspirei na Costa da Espada e Itália renascentista. O terreno é fértil, ligeiramente ondulado (e montanhoso nos extremos) e de clima temperado, bem europeu-padrão.

Anteriormente o anão guerreiro devoto Krank (Rafael) e o arqueiro Duncan (Gabriel) resgataram as crianças nobres das crias das trevas na floresta, e após avistar grandes números da prole decidiram alertar a vila de Hommlet do perigo. Mais a sul, o paladino (caçador de monstros) Moloch (Diego) salvou uma aldeia de uma sombra. A oeste, a elfa guerreira arcana Noelle (Elisa) ajudou uma família pressionada a perder suas terras por bandidos contratados pelo Barão local, e saiu para pedir ajuda ao primogênito da família.

O Homem é o Animal Mais Cruel

Após deixar a pobre Estalagem da Velha Ponte, Noelle foi passando pelas fazendas do baronato de Standen, e lembrou dos alertas de seu pai sobre os humanos ao ver ladrões enforcados pela estrada, perto dos campos onde os aldeões faziam a colheita.

De repente, um trovão a ensurdeceu! Com os ouvidos zunindo e meio desnorteada (feitiço Atordoar), viu três homens saírem de trás das rochas – Soren e Jalmar (os homens do barão) liderados por outro guerreiro, chamado Krigor; eles a olhavam como chacais enquanto se aproximavam.

Soren, o líder e Jolrael
Soren, Krigor e Jalmar

Noelle tentou fugir, mas Jalmar a derrubou com o chicote, mas ela se virou sacando com habilidade a espada e o trespassando, surpreendendo a todos (incluindo ela, que nunca tinha matado). Levantou e acertou Soren em cheio no ombro com um Raio de ar.

Soren, porém, conjurou um feitiço que fez as forças da elfa fugirem (Aumentar/Reduzir Atributo), dando oportunidade ao líder para desarmá-la e dominá-la, bem mais forte que ela. A deitou de bruços em uma pedra e, enquanto o mago se curava com magia, o líder abusava do corpo da elfa.

Após aqueles terríveis momentos, largada no chão e antes de desmaiar (manter a manobra de agarrar sempre causa dano no agarrado), Noelle viu um homem matar Soren e atacar o líder, e após um clangor de espadas, sentiu ser carregada por seu misterioso salvador.

Parêntese aqui para lembrar que neste jogo os jogadores abordam tranquilamente temas adultos e delicados. Além disso, a cena não foi gratuita – vai fazer mais sentido lá na frente na campanha, acredite.

O Fim da Inocência

Noelle acordou febril algumas vezes, em uma choupana humilde, e teve a impressão de ser cuidada por outra elfa. Em uma manhã, o casal de fazendeiros da casa disse que ela fora trazida por um guerreiro e uma elfa curandeira, mas estes partiram com pressa para o norte. Nessa hora Elisa logo reconheceu dois NPCs da campanha antiga, e bateu a nostalgia. :)

Dia seguinte Noelle partiu, usando roupas do filho do casal e uma pesada capa com capuz. Estava mudada, ferida e amedrontada, e evitou o máximo de contato. Ao finalmente chegar na fazenda de Brenon, o homem que viera buscar, encontrou sua casa queimada! Lá, um cadáver tentou agarrá-la, e ela instantaneamente espetou a cabeça do morto e saiu.

No topo da colina mais próxima, Brenon enterrava esposa e filhos. Abalado, revelou que os mortos andaram e atacaram sua casa. Noelle contou a situação da estalagem, e ele decidiu pedir ajuda a Ser Rodrik, senhor de Hommlet. Meio por inércia, a elfa se juntou ao fazendeiro (afinal, precisava ocupar a cabeça).

A jornada não foi tranquila: no segundo dia, viram (escondidos) uma horda a la The Walking Dead rumando para o norte. No terceiro, perto da vila, deram o azar de se juntar a uma caravana comercial quase no momento de um ataque de crias das trevas!

A Vila de Hommlet

Campanha nostálgica, ambientação clássica. Duncan e Krank chegaram à vila ao anoitecer. Na estalagem Donzela Acolhedora, após estabelecer a típica atmosfera e os PJs conversarem um pouco, do nada um mercador e um fazendeiro entram desesperados no salão – sua caravana foi atacada por crias das trevas, que sumiram no pântano próximo ao vilarejo com toda a carga das carroças.

3b91b-hommlet

Após narrar o burburinho, a dupla se levantou junto de Moloch, que também chegara a pouco. Criei três NPCs para mostrar que tem gente de cohones na vila além do grupo (né): o lenhador Slade, o capitão da guarda Crassus e a mercenária errante Sabinne (que fez os jogadores vibrarem, porque é uma NPC querida da campanha antiga). Formou-se uma equipe e partiu para o local indicado.

Na cena do ataque, seguiram pântano adentro e surpreenderam o grupo de monstros levando parte da carga. Crassus logo saltou para cima, Duncan (como sempre) deu alguns headshots e o restante lutou ferozmente, e mesmo estando em superioridade numérica, logo as crias morreram. Uma luta fácil, mas os heróis pouco puderam se recuperar do ataque: um espadachim encapuzado irrompeu da juncagem, perseguido por três lobos horrendamente transformados, maculados pelas crias das trevas.

Os guerreiros logo se recuperaram e evitaram cuidadosamente as mordidas infecciosas dos lobos, dando golpes precisos e matando as infelizes criaturas. Logo voltaram então suas armas para o esbelto e estranho rapaz, de baixa estatura mas grande desenvoltura com uma espada élfica. Interrogado, disse – meio nervoso – se chamar Jaek, estar na caravana atacada e ter fugido dos lobos que o atacaram. Embora desconfiados, todos concordaram que ele ajudou (ao menos mais que atrapalhou) e voltaram juntos à aldeia.

1e185-aegisblog

Sim, se você leitor ainda não percebeu, tratava-se de Noelle no disfarce mais vagabundo do RPG, hehe. Na campanha anterior a personagem estreou do mesmo jeito (também com medo de homens, porque fora estuprada e tal, prelúdio escrito por Elisa), e era muito engraçado – assim como foi de novo agora, conforme veremos nos futuros reportes.

Pois bem, finalmente o grupo estava junto! O que eu gosto nessa técnica é que a junção foi orgânica, e cada personagem teve seus primeiros momentos sozinho pra se desenvolver legal. A partir de agora teremos pinceladas do módulo escrito por Gary Gygax (embora adaptado para Dragon Age) e de outras aventuras. Até o próximo reporte!

4 comentários em “Campanha Aegis – Capítulo 04

Dê um pitaco, não custa nada

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s