Uma campanha com as aventuras prontas de Dragon Age RPG

E aí pessoal! Depois de meses (tempo tá em falta, como sempre), cá estou trazendo um post antigo que nunca terminava e ganhou novo fôlego quando um amigo perguntou sobre como usar as aventuras prontas de Dragon Age RPG, e eu resolvi usar minha experiência com módulos prontos (aqui é busy lazy bee style, meu fi) para recomendar uma forma de transformar todas as aventuras que saíram para determinado jogo em uma campanha bem interligada como as que saem para Pathfinder e D&D. O próximo post vai trazer as do Old Dragon, então já me recomendem aventuras de fãs para citar.

Então, a ordem para narrar uma campanha bacana usando as aventuras prontas de Dragon Age RPG seria a seguinte.

A primeira aventura dos PJs (personagens dos jogadores) seria An Arl’s Ramsom (O Resgate de um Arl), do Quickstart Guide lançado pela Green Ronin (grátis aqui) logo quando publicou DARPG na gringa. O bom dessa aventura é que ela assume que são personagens recém-criados de 1º nível, dando até algumas dicas para inserir cada PJ nela. A campanha começaria na fortaleza Stenhold, do Arl Neruda, cujas terras têm tido problema com crias das trevas.

Dali, eles poderiam ser contratados por um mercador para proteger uma carga até Denerim, e no caminho fica a vila de Vintiver, onde você mestrará A maldição dos Vales, aventura do Conjunto 1 de Dragon Age RPG. Os PJs salvam a vila e se envolvem em interessantes questões das dissonâncias entre elfos e humanos.

De Vintiver, eles podem seguir com o mercador até Denerim, e você pode colocar alguns encontros e mini-aventuras que situem os jogadores na situação atual de Ferelden da sua campanha ou algo assim. Talvez até visitar algumas vilas que você criou, etc. Em Denerim, eles jogam o início de Uma Teia Frágil (do livro Sangue em Ferelden), derrotam o Culto da Língua Silenciosa e talvez se tornem patronados pela Bann Nicola Baranti (tenha cuidado para apresentar a nobre como uma pessoa acima de qualquer suspeita, jogador é bicho desconfiado).

Sob ordens da Bann ou não, o próximo passo dos PJs é ajudar o povo de Campina Rus, perto dos Ermos Korcari, em Um Bann a Mais (Kit do Mestre). Se eles ainda estão freelancers, podem esbarrar com os problemas do vale na volta para Stenhold, ou a caminho de outra aventura qualquer. Com tudo resolvido lá, eles esbarram de alguma forma (contratados ou mandados por Bann Nicola) com Lago Soth (que é perto de Stenhold), e jogam Fúria Âmbar, de Sangue em Ferelden. Dica: considere que Ser Wulverton serve Arl Neruda, e isso vai tornar o início da Parte 6 bem mais dramático!

Depois de ajudar o povo de Lago Soth, o grupo pode ir parar nas Colinas do Oeste, na cidade de Pico do Olmo – talvez ouvindo falar sobre o trabalho lá, ou algum outro motivo. O Arl Gallagher Wulff então os contrata para salvar sua filha nas Montanhas do Dorso Frio em Onde as Águias Vivem (Sangue em Ferelden). Perambulando por lá, aproveite para introduzir Edgehall (de À Beira da Batalha, terceira aventura do novo Crônicas de Thedas), que será importante mais tarde. Nessa altura Arl Gell Lendon ainda está reerguendo as defesas do forte. Talvez os PJs até ajudem com algum problema local, como crias das trevas, bandidos avvars, aranhas gigantes, fantasmas anões…

De alguma forma eles acabam indo investigar atividades de contrabando de lyrium em Halamshiral. Ou, pretexto que eu prefiro, vão lá entregar uma mensagem ou outro motivo que os faça tropeçar na aventura Correntes Invisíveis, do Crônicas de Thedas. Como ela é uma aventura introdutória, vale a pena dar uma ajustada para o nível – certamente mais alto – do grupo.

Em algum momento da campanha, de preferência com o grupo entre os níveis 4 e 6, arranje uma ida para Denerim, para finalizar Uma Teia Frágil (Sangue em Ferelden). O legal é passar um tempo entre o prólogo (que você mestrou lá atrás) e o resto da aventura.

Outra coisa, se por acaso eles se tornaram Guardiões Cinzentos (talvez maculados por crias das trevas, ou tendo feito alguma besteira e sido presos, etc.), você pode mestrar Duty Unto Death, aventura que saiu grátis após o Table Top de Dragon Age RPG. Baixe ela aqui. Se não forem Guardiões Cinzentos dá pra mestrar também, só adaptar um pouco.

A essa altura os heróis já são conhecidos em Ferelden, e são convidados para Terra Escarpada, para a Competição de Armas do Grande Torneio das Planícies Livres, de A Queda do Outono, do Conjunto 2 ou Crônicas de Thedas. A vez que joguei, a gente estava num navio de escravagistas e se libertou na área da cidade. É uma aventura muito massa, que assim como Correntes Invisíveis, dá uma variada em Ferelden e introduz conceitos de outras partes de Thedas.

Por fim, quando eles estiverem entre os níveis 9 e 11 (talvez até saindo direto de Nevarra), eles voltam a Edgehall e se envolvem em À Beira da Batalha, que é praticamente uma mini-campanha, com muitos ganchos e subquests. É um bom final para a campanha, ou o início de uma nova fase com histórias mais épicas.

Claro que tudo isso vai ser encaixado no próprio andamento da sua campanha, dependendo bastante das ações para os jogadores, de algum fio condutor que você assumiu para a trama e nos laços que os personagens deles criam. Também será afetada pela época que você decidir ambientar o jogo – algumas das aventuras assumem a ocupação orlesiana ou o Quinto Flagelo, mas elas mesmas tem dicas de como usá-las em outras épocas. É muito interessante entrelaçar as aventuras com a época para dar aquele gostinho de que os jogadores estão modificando o mundo e interagindo com o conteúdo de Thedas.

Na campanha, você provavelmente vai usar suas próprias aventuras, e recomendo encaixar os ganchos de Sangue em Ferelden (use É Tudo Roubo se os PJs estiverem trabalhando para Bann Nicola ou insira a nobre de algum jeito, talvez como amiga dos mercadores ou dando algum prêmio extra a eles; lembre que a trama de Uma Teia Frágil se relaciona com o final desse gancho), ou até aventuras prontas de outros jogos, como as de Guerra dos Tronos RPG, que podem ser usadas em Denerim com poucas adaptações (aliás, DA tem grandes inspirações no material de George R.R. Martin). Ah, e tem muitas aventuras feitas por fãs em inglês por aí para DARPG.

Bônus: editei um mapa de Ferelden com algumas localidades que aparecem nas aventuras prontas e no Inquisition. Pico do Olmo é uma cidade meio confusa de localizar, mas escolhi ir pela descrição do Sangue em Ferelden como muitos no fórum da Green Ronin. Clique na imagem pra ampliar!

Ferelden

 

Anúncios

8 comentários em “Uma campanha com as aventuras prontas de Dragon Age RPG

  1. Cara suas postagens são demais! Só digo uma coisa não pare de postar!
    Isso ae é uma coisa que todo os Narradores deveriam saber. como adaptar aventuras dessa maneira. e isto ajuda muito quem ainda esta “meio perdido”
    Muito maneiro mano!

    Curtir

  2. Eu fiz praticamente isso, mas na época usei somente o Sangue em Ferelden e a Maldição do Vale.
    Comecei com A Teia Frágil e após serem apadrinhados pela Bann Nicola, foram até Vintiver, de lá foram roubados e seguiram o rastro até Lago Soth. Após voltarem para Denerim, introduzi side quests pessoais em conjunto com a crescente desconfiança de Bann Nicola em preparação para o baile, que culminou neles sendo presos por templários. Demos um salto de 3 meses com uma aventura dentro da Torre do Círculo, onde eles armaram uma fuga (alguns dentro, outros fora) e seguiram desnorteados até Pico do Olmo, onde fizeram Onde as Águias Vivem e a campanha terminou com uma única sobrevivente pois a intrigas interna foi crescendo desde as sidequests pessoais + elementos introduzidos por ele no salto temporal + roleplay dessas tretas daí pra frente.

    Saldo:
    -Leevi, a maga humana sobrevivente, viu seu pai e amigo se matarem, ficou em Terra-Vermelha e casou com uma caçadora, treinando para ser Guerreira Arcana melancólica.
    -“9 Coelhos”, mago humano amnésico e desfigurado por queimaduras, descobriu que é o pai da outra maga mas por causa de seu amante maleficar (tutor dela) teve um grande problema com a filha e com o elfo…
    -Loki, elfo ladino que tinha o sonho de conhecer sua origem valeana mas foi ficando cada vez mais sombrio, principalmente após perder seus pais (por conta do maleficar) e se meter com um artefato possuído por um demônio, matou 9 Coelhos por vingança mas foi envenanado caindo numa cachoeira e vendido para os Corvos de Antiva pela pirata Isabella.

    Teve outros personagens que passaram pela mesa, 2 morreram no cerco das crias-das-trevas em Terra-Vermelha, outros saíram da mesa e “aposentaram” seus personagens da trama.

    Curtir

  3. Cada dia que passa essa birosca fica melhor!
    Só fico triste por não conseguir mobilizar meus grupos a jogar em Thedas.
    Mesmo assim, continuo acompanhando essa página, pois me inspira muito quando vou criar material pra minhas mesas.
    Aproveitando o tema, você já teve acesso ao novo Kit do Mestre que foi lançado na terra do Tio Sam? Já conheceu a nova aventura que vem com esse kit?
    Grande abraço, e mantenha essa Birosca em atividade!

    Curtir

  4. Gostei. Realmente há um monte de aventuras que podemos encaixar e formar uma baita campanha. Vou ver se consigo fase umas Junções. Parabéns pelo post, Dan!

    Curtir

Dê um pitaco, não custa nada

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s