Coraline e o livro secreto

Esses dias tive a oportunidade de ler Coraline, de Neil Gaiman (emprestado pela cunhada Bia). Eu só tinha visto o filme, e gostado demais dele. Mas não sabia que o livro poderia ser tão mais bacana. Como você provavelmente já sabe, Coraline é um passeio pela literatura infantil do grande Gaiman (se nunca leu um … Continue lendo Coraline e o livro secreto

Abaixo os combates absurdamente demorados

Outro dia tivemos uma sessão meio brochante de uma das minhas campanhas de fantasia - até a mencionei no meu post de ano novo. Foi literalmente uma sessão inteira rolando um só combate, porque envolvia um monte de gente. Basicamente, a companhia mercenária (quatro jogadores, mais seis NPCs) sofreu emboscada de escravagistas, sendo homens, gnolls … Continue lendo Abaixo os combates absurdamente demorados

O Pistoleiro (A Torre Negra) e meu preconceito literário

Tenho sérios problemas com livros de autores iniciantes - detesto notar que um escritor está tentando me impressionar a todo momento com um vocabulário desnecessariamente rico e descrições excessivamente “poéticas”. Com o tempo vai-se aprendendo a escrever textos mais sucintos, ou passagens poéticas/ impressionantes com palavras bem escolhidas e apropriadas. A questão é que há alguns … Continue lendo O Pistoleiro (A Torre Negra) e meu preconceito literário

Profissões antigas para inspiração em jogos de fantasia

Olá, amigos! Estava procurando esse post para usá-lo num planejamento de história, e me toquei que ele é da época obscura do WordPress. Para corrigir este pecado, estou trazendo-o de volta para ajudar quem precisa e nunca o viu (afinal, não tenho plugins chiques de repostagem automática): uma lista de profissões antigas da idade média.Mas … Continue lendo Profissões antigas para inspiração em jogos de fantasia

Minha visão sobre itens mágicos

Olá, companheiros! Voltando após um sumicinho. Faz tempo que postergo esse post, mas veio um insight e cá estamos. Dia desses um jogador estava fazendo uma ficha de Old Dragon de 8º nível e não achou preços de itens mágicos (e não tem mesmo). A pergunta foi inocente, porque ele tinha um bocado de ouro … Continue lendo Minha visão sobre itens mágicos